Festa infantil compartilhada: vale a pena ou não?

Uma tendência vem crescendo entre os eventos de aniversário. A festa infantil compartilhada se tornou um sinônimo de qualidade e economia. Mas, será que comemorar a vida de duas ou mais crianças de uma vez vale a pena?

Muito comum em famílias grandes, as festas compartilhadas costumavam ser apenas entre irmãos ou, no máximo, primos. Agora, porém, essa relação de parentesco não é obrigatória.  Entenda melhor como esse tipo de compartilhamento funciona e o que você precisa considerar na hora de escolher esse novo modelo!

Os aniversariantes convivem no mesmo ambiente?

Durante grande parte da vida da criança, sua vida envolve o mesmo ambiente de convivência. Ir para a escolinha ou creche todos os dias faz com que tenham contato com outras crianças da mesma idade. Isso facilita na hora de organizar uma festa compartilhada.

Com o mesmo universo, os convidados serão, em grande parte, os mesmos. Assim, se ambos nasceram em épocas próxima, faz sentido comemorar juntos. Em vez uma festa com 20 convidados para cada um, dá pra fazer apenas uma, com 30 convidados, por exemplo.

Algumas empresas e salões infantis oferecem pacotes em que os aniversariantes não precisam necessariamente se conhecer. Nesse caso, é preciso levar em consideração se a presença de estranhos não vai deixar ninguém desconfortável.

A temática seria a mesma em eventos separados?

É comum que a convivência torne os gostos parecidos, especialmente na infância. Aos 2 anos, por exemplo, a Patrulha Canina costuma ser adorada. Já por volta dos 10 anos, os super heróis ficam em alta. Aproveitar essa similaridade de gostos é um jeito de otimizar a festa.

Dois amigos que gostem da Liga da Justiça podem realizar uma festa perfeitamente adequada para ambos. Um pode se vestir de Batman e outro de Super Homem ou mesmo Mulher Maravilha. A criatividade será essencial para que ambos se sintam apreciados pelo evento. O que nem sempre dá pra conciliar são temáticas e idades muito diferentes. Um menino de 10 anos que adora jogar Country Strike dificilmente terá as mesmas relações do que uma menina de 2 anos que quer uma festinha com pandas.

Pais e filhos não se importam em dividir a atenção?

No dia do aniversário, os flashs são sempre do aniversariante. Mas, e se forem dois?

É importante que pais e familiares tenham consciência de que a escolha compartilhada inclui também a atenção. Os fotógrafos não serão exclusivos, assim como o cuidado dos convidados. Para valer a pena, esse tipo de festa exige gente que saiba partilhar experiências sem se sentir deixado de lado.

Economizar financeiramente nem sempre compensa se a experiência final será prejudicada.

O orçamento dividido não vai causar conflitos?

Salões especializados já começam a oferecer pacotes com valores compartilhados para mais de uma pessoa. A questão é que um dos lados pode querer adicionais que o outro não queira.

Por isso, é indispensável que o orçamento seja muito claro. E que a relação entre os dois lados seja simétrica, para evitar conflitos.

Planejar uma festa compartilhada demanda tanto trabalho como uma individual. Se trata, porém, de um novo modelo de serviço e eventos que está em alta. Otimizar tempo e dinheiro é sempre atraente. Ainda assim, é preciso levar em consideração vários aspectos antes de determinar se é a melhor opção para cada indivíduo.

Você faria uma festa compartilhada? Acha mais difícil contentar dois aniversariantes de uma só vez? Compartilhe esse artigo e pergunte qual é opinião dos seus amigos!

Está pensando em fazer uma festa infantil compartilhada? Descubra tudo que você precisa antes de tomar essa decisão!

Para mais dicas, acesse o site da Rei dos Eventos.

Rodrigo Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *